Slide 1 Slide 2 Slide 3 Slide 4 Slide 5 Slide 6 Slide 7 Slide 8 Slide 9 Slide 10 Slide 11
Postado por Janine | 0 comentários

Ano Internacional das Leguminosas

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação - FAO declarou o ano de 2016 como Ano Internacional das Leguminosas. O objetivo é chamar a atenção para os benefícios,  tanto para a saúde humana como para a saúde dos solos onde são cultivadas em associação ou em rotação de culturas.
Como alimentos, os feijões e as ervilhas secas proporcionam facilidade de estoque, de preparo e significa fonte de segurança alimentar.
Como nutrição do solo, as leguminosas possuem um sistema radicular com rizóbios que são bactérias que proporcionam captação de nitrogênio. Existem apenas duas formas de captar N2 para o solo. Uma é através de relâmpagos que caem diretamente no solo e a outra é através das leguminosas e seus rizóbios.

Refeição com leguminosas:
Aperitivo:

Grão-de-bico

Ingredientes

500 gr de grão-de-bico
água para deixar de molho e cozimento
3 colheres de sopa de azeite (45 ml)

                                                                                              Modo de fazer




Deixe o grão-de-bico de molho por 3 horas. Cozinhe na panela de pressão por 10 minutos após levantar a pressão. Desligue o fogo, cuidado, deixe sair a pressão completamente.
Escorra bem, seque com um papel toalha e disponha num tabuleiro.
Salpique vários tipos de ervas e temperos diferentes, como orégano, cebolinha, salsinha, pimenta-do-reino, etc.
Leve ao forno pré aquecido a 250ºC por 45 minutos.




















Sopa de ervilhas com cenouras

Ingredientes

2 xícaras de ervilhas 
2 tomates sem pele e sem sementes, picados
2 dentes de Alho amassados
1 cebola picada
2 cenouras cortadas em cubos 
1 colher de sopa de azeite
3 colheres de sopa de temperos verdes
1 litro de água


Modo de fazer

Coloque a água para ferver

Cozinhe as ervilhas - se forem ervilhas frescas, cozinhe por 2 minutos, se forem congeladas, cozinhe por 3 minutos.

Em outra panela, frite o alho e a cebola picada no azeite por 3 minutos , mexa para não queimar, acrescente as ervilhas e o tomate.
Quando a água estiver fervendo, acrescente na mistura.
Agora coloque as cenouras e 
deixar cozinhando por tudo por 15 minutos no fogo baixo.
























Bolinho frito de lentilhas

Ingredientes

1 xícara  de lentilhas cozidas
1/2 cebola picada
1 dente de alho
2 colheres de sopa de farinha de trigo
farinha de rosca para empanar
óleo para fritar

Modo de fazer

Coloque todos os ingredientes no liquidificador
Modele os bolinhos com uma duas colheres de sobremesa
Frite-os em óleo quente 














Leia Mais

Rádio ONU
Vamos falar sobre desigualdade?

Leia mais...
Postado por Janine | 0 comentários

Bolo Vivo!

Fazer um bolo vivo significa usar apenas ingredientes crus. Os ingredientes mais usados para fazer bolos vivos são as farinhas de grãos germinados de amendoim, amêndoa, nozes e girassol para elaborar a  massa. As tâmaras secas sem caroço são usadas para adoçar e o abacate com alfarroba é usado para substituir o chocolate tradicional. Outros ingredientes como mel, passas, castanhas, frutas frescas e coco ao natural ralado (úmido) são opcionais e acrescentados de acordo com o gosto de cada um.


Bolo vivo de cenouras

Ingredientes

1 xíc. (chá) de sementes germinadas de amendoim ou girassol
1 xíc. (chá) cenoura crua cortada em rodelas
1 xíc. de frutas secas a gosto (passas, tâmaras, ameixas) 
1/2 xíc. (chá) de côco fresco ralado
1 colher de chá de gengibre fresco
gotas de suco de limão
canela em pó a vontade

Modo de fazer

Coloque todos os ingredientes no liquidificador até formar uma massa homogênea
Despeje a massa num prato com bordas altas (refratário,  "pirex" ou com fundo removível), modele comprimindo a massa no interior do prato. Decore com frutas secas e coco ralado.

*Pode ser feito um tipo de torta com a mesma massa, basta comprimir e deixar com uma espessura fina (prato maior) com bordas e rechear com frutas frescas.

Bolo vivo de farinha de amêndoas e tâmaras

4 xíc. de amêndoas sem casca e sem sal
2 xíc. de tâmaras sem caroço (deixar de molho na água de um dia para o outro)
1 pitada de sal
sementes de cardamomo ou pedacinhos de gengibre

Modo de Fazer

Bata as amêndoas no liquidificador até formar uma farinha. Passe para uma tigela. Reserve.
Bata as tâmaras no liquidificador com as sementes de cardamomo até formar um purê. Se ficar muito dura acrescente água filtrada ou mineral (pode ser suco de laranja) e misture na farinha na tigela.
Espalhe a massa numa forma refratária baixa.

Recheio

Chocolate vivo: abacate + alfarroba + mel decorado com morangos
ou salada de frutas com gotas de limão, mel e canela.


Bolo vivo de coco e chocolate ("Prestígio")

Ingredientes

400 gr de tâmaras sem caroço (deixar 40 minutos de molho na água)
3 xíc. de amêndoas secas em pó
3 xíc. de coco ralado úmido fresco
3 colheres de sopa de alfarroba
1 pitada de sal
1 abacate
morangos para decorar


Modo de fazer

Passe as tâmaras no liquidificador coma farinha de amêndoas até formar um purê, retire 2/3 da mistura e deixe 1/3 para a cobertura.
Coloque o abacate e a alfarroba no liquidificador com 1/3 do purê de tâmaras.
Espalhe sobre o bolo com uma colher.



Leia mais:
Veja que interessante essa postagem sobre a origem do bolo de aniversário!








Leia mais...
Postado por Janine | 0 comentários

Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC's)

As plantas alimentícias não convencionais são encontradas na natureza de maneira espontânea. São vegetais completamente orgânicos, abundantes e ricos em nutrientes. A maioria da população não conhece as funções alimentares dessas plantas e as consideram como ervas daninhas ou "mato" insidioso. Mas esses vegetais pouco consumidos pela população de regiões desenvolvidas e dominadas pela industrialização podem ser bastante consumidos em regiões como o norte e  nordeste brasileiro.
Depois de conhecer melhor as "pancs" você nunca mais verá o "mato" com os mesmos olhos.
O livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs) do Brasil registra 351 espécies. O autores Valdecy Kinup e Harri Lorenzi pesquisaram durante dez anos e elaboraram um estudo bem completo das plantas exóticas e nativas consideradas não convencionais nas várias regiões do país.   A maioria das PANCS são da família das Amarantáceas e existem, pelo menos 178 Gêneros muito conhecido.

    Junça limpa e lavada


Junça como aperitivo

A junça, amêndoa da terra ou tiririca amarela (Cyperus esculentus L.), tem sua origem no Hemisfério Norte. Considerada como invasora em muitas lavouras pelo Brasil devido sua rusticidade e fácil proliferação, mesmo em solos empobrecidos, é valorizada em países como Espanha, Estados Unidos e México.
A maneira mais fácil de consumir a junça é consumindo seus pequenos rizomas  como aperitivo. Tem sabor que lembra amendoim e coco. Na região da Catalunha, Espanha é usada como matéria-prima da horchata, uma bebida de comercialização nacional.



Junça (Cyperus esculentus)

Caruru como hortaliça

O Caruru, Bredo ou Amaranto (Amaranthus sp) é originária da  América tropical. É muito consumida nas regiões Norte e Nordeste do Brasil nos estados da Amazônia e Pará.
Embora seja considerada uma PANC ou erva daninha no Brasil, na África e na América Central é utilizada como hortaliça com o nome de espinafre-africano ou espinafre-haitiano.


Caruru (Amaranthus sp.)

Sal verde para temperar

O sal verde ( Sarcocornia perennis) é uma amarantácea com alto teor de reserva de sal que foi descoberta pela pesquisadora Cecília Cipriano Osaida da Epagri de Itajaí em 2001 na cidade de Palhoça, numa região de manguezal de água salgada. Além de substituir o sal de cozinha, possui ômega 3 e 6 que auxiliam no combate ao colesterol e possui três vezes menos cloreto de sódio do que o sal comum.




Sal verde. Sarcocornia perennis. .




Ora-pro-nobis como fonte de Proteína


Ora-pro-nobis (Pereskia aculeata), também conhecida como carne dos pobres, vem se destacando entre os vegetarianos e veganos por ser uma planta de alto teor proteico e como todo vegetal de cor verde escura, fonte de ferro. Trata-se de uma cactácea muto usada como cerca viva, devido sua grande capacidade para proliferação e por ter espinhos no caule. A maneira mais fácil de propagação é através de estacas e o manejo deve ser feito de forma que alcance a altura de cerca de 90 cm a 1 metro.
Na culinária é muito usada acompanhando carne branca. 

Molho para macarrão com ora pro nobis






Ingredientes

1/2 cebola média picada
2 colheres de sopa de azeite
1/2 litro de leite 
1/2 copo de requeijão
5 colheres de sopa de farinha de trigo
1 maço de ora-pro-nobis
Sal e pimenta a gosto

Modo de fazer

Refogar a cebola picadinha no azeite.
Pique o ora-pro-nobis e acrescente na mistura.
Acrescente  um pouco do leite vegetal.
Quando ferver, acrescente a farinha dissolvida no restante do leite.
Deixe cozinhando e acrescente o requeijão.
Cozinhe o macarrão integral conforme a embalagem
Distribua o molho sobre o prato de macarrão integral.

Tomates cereja para decorar




Musse de gabiroba

Ingredientes

1 xíc de polpa de guabiroba
1 1/2 xíc de mnata
1 caixinha de leite condensado

Modo de fazer

Misture tudo e coloque na geladeira por 2 horas
Para fazer sorvete, congelar e bater por tres vezes.
Leia mais: Livro de Receitas Pancs

Dica: enfeite seus bolos, saladas e frutas com flores.
As flores comestíveis mais comuns que conhecemos são o brócolis, a couve-flor e a alcachofra em pratos salgados. Mas existem flores tão belas quanto nutritivas, não convencionais para elaborar receitas inusitadas. 
As mais abundantes são as maria-sem-vergonha, seguidas pelos amores-perfeitos.




Leia mais...
Postado por Janine | 0 comentários

Europa diz não aos transgênicos


Principais países da União Europeia decidem banir o cultivo de alimentos geneticamente modificados. Decisão tem mais peso político que econômico.
Poucos temas despertam tanta polêmica no mundo quanto os alimentos geneticamente modificados. Desde que os transgênicos começaram a chegar ao campo e às mesas, há duas décadas, uma guerra em escala mundial vem sendo travada. De um lado estão seus beneficiários e defensores, como as grandes empresas de biotecnologia e os agricultores que produzem commodities agrícolas em larga escala. Do outro, ambientalistas e pequenos produtores rurais, que alegam não haver garantias de segurança para o consumo humano de alimentos produzidos a partir de sementes modificadas geneticamente.
Na última semana, a Europa, ou a maior parte dela, escolheu em qual lado desta batalha vai ficar. Em uma decisão de certa forma esperada, 19 dos 28 países da União Europeia decidiram banir o cultivo de alimentos geneticamente modificados. Entre eles, potências como Alemanha, França e Itália, além de parte do Reino Unido. Foi uma mensagem dura contra o lobby das companhias de biotecnologia e defensivos agrícolas, como Monsanto, Dupont, Bayer ou Syngenta. “Esses países estão dando um claro sinal de que não têm confiança nos relatórios de segurança sobre os alimentos transgênicos”, afirmou à ISTOÉ Franziska Achterberg, diretora de Políticas de Alimentação do Greenpeace na Europa. (…)
Leia mais...
Postado por Janine | 0 comentários

Pudim de leite sem ovos

Pudim do Amor ou Pudim de geladeira é outra delícia que pode ser feita sem ovos. Não, não é o que você está pensando. Não tenho nada contra esse alimento de origem animal.  Mas em certas situações de consumo para que uma receita fique mais segura, livre de bactérias, substituir os ovos por outros produtos é um grande benefício. Nesse caso, os ovos são substituidos por gelatina sem sabor . Essa receita é rica em leite e poderia ter o nome de pudim dos três leites. É uma delícia extremamente calórica. Portanto, permitido uma vez ao ano (risos).


PUDIM DE LEITE SEM OVOS


Ingredientes

2 latas de leite condensado
3 caixinhas de creme de leite
1 copo de leite integral
2 envelopes de gelatina sem sabor e sem cor

Modo de fazer

Coloque o leite condensado, o creme de leite e o leite integral no liquidificador e misture por 30 segundos.
Dissolva a gelatina sem sabor, em água quente, conforme as instruções da embalagem. Nunca deixe ferver para não ficar grudenta.
Acrescente na mistura do liquidificador e bata por mais 30 segundos.
Coloque todo o conteúdo numa forma com furo no  meio.
Leve à geladeira po 5 horas.
Para desenformar passe um palito em volta da forma tanto na borda externa quanto na borda do furo do meio.

Para a calda

2 xícaras de açúcar
1/2 xícara de água
Em uma panela, coloque o açúcar
Leve em fogo baixo, até atingir a cor de caramelo
Depois que derreteu todo o açúcar sem ficar nenhum pedacinho, Abaixe o fogo, junte a água os poucos, mexa com a colher de pau.

Eu fiz e ficou perfeito e delicioso.

A minha calda ficou mais clarinha, pois tive receio de queimar. Mas pode deixar mais tempo.

Veja mais receitas sem ovos:

Maionese sem ovos
Cucas sem ovos


Leia mais...
Postado por Janine | 0 comentários

Transgênicos: são monstros da Monsanto

A carta aberta do Dr. Ruy de Bastos Freire Filho, publicada em resposta à entrevista com o Presidente da Monsanto no Brasil, é tão completa e esclarecedora que eu apenas precisei fazer um "copia e cola" sincero no meu humilde blog. Não existem ecologistas  a favor da Monsanto, uma empresa multinacional com o destino obscuro de criar produtos químicos maléficos à fauna à flora e aos humanos. Pior é quando empresas midiáticas com matérias pagas publicam entrevistas sobre manipulação genética em sementes que não funcionam mais como pretendiam inicialmente em termos de produtividade e segurança alimentar, enaltecendo tais produtos.


FOLHA DE SÃO PAULO

Carta que o Ruy Freire Filho mandou para a Folha de São Paulo, em resposta à entrevista do presidente da Monsanto no Brasil publicada dia 25/05/2015. 
Editado por Janine Alves em 27/10/2015

“A entrevista com Rodrigo Santos, presidente da Monsanto no Brasil, tangenciou pontos nevrálgicos da questão dos transgênicos, fundamentais para o leitor do jornal entender a polêmica em torno de alimentos geneticamente modificados e do risco que representam para a segurança alimentar.
1-Os cultivares transgênicos são altamente dependentes de insumos (fertilizantes, defensivos) para alcançarem a prometida produtividade, aumentando a dependência do agricultor de crédito subsidiado e do país da importação de fertilizantes químicos e princípios ativos de defensivos. No caso da soja transgênica a produção sequer é maior, ela simplesmente poupa uma operação extra de pulverização de herbicida, já que a dosagem do mesmo pode ser dobrada.
2-A tecnologia desenvolvida pela Monsanto visa criar um pacote tecnológico envolvendo produtos da empresa- a soja transgênica resiste a uma dosagem maior do herbicida Roundup, produzido pela empresa. Alias produto classificado como carcinogênico o que inclusive fez com que o presidente colombiano Juan Manuel Santos interrompesse as pulverizações de plantações de coca em função do impacto sobre a saúde das populações locais.
3-A questão dos royalties. Estudo da EMBRAPA mostra que o custo das sementes transgênicas fez com o plantio da soja tradicional desse maiores retornos econômicos aos produtores brasileiros do que o da soja transgênica da empresa em questão. O pagamento de royalties e a alta dependência de insumos dos produtos transgênicos tem levado á um suicídio em massa na India de agricultores endividados.
4-O item mais importante se refere ao impacto sobre a saúde humana e sobre o meio ambiente. Inúmeros estudos mostram que a modificação genética afetou negativamente a saúde de animais e que provavelmente não são seguros para consumo humano. O produto transgênico afeta o meio por dois mecanismos: o da poluição genética ao introduzir um gene estranho no meio com consequências imprevisíveis e pelo aumento do uso dos defensivos contaminadores do solo e do lençol freático.
5-O produto transgênico pode, através da polinização, contaminar as variedades não transgênicas em plantas, diminuindo a variação genética indispensável para segurança alimentar. A fome na Irlanda no século XIX é um exemplo do risco que representa o cultivo de de um só cultivar para sustentar uma população.
6-A hegemonia das sementes transgênicas, criadas por mecanismos de acesso ao crédito rural, põe em risco a preservação de variedade genética. Peru e mais recentemente a Bolivia, países berços de uma das maiores fontes de variação genética de alimentos estratégicos para a humanidade proibiram o plantio de transgênicos em seu território. A medida não é só para proteger as variedades nativas, como a de um futuro próximo produzir comercialmente sementes para abastecer mercados fora do país. As sementes tradicionais tem sido notórias em produzir em condições desfavoráveis com baixo aporte de insumos.
7-A estratégia da transgenia tem sido desastrosa como fica evidenciado o desenvolvimento da resistência das lagartas ao milho transgênico com a toxina da bactéria Bacillus thurigisiensis, com a consequente perda da safra e processos judiciais, no Brasil, que infelizmente não tem tido a mesma divulgação pela imprensa.
8-A Monsanto não tem investimentos só na área de agricultura. Recentemente se tornou a principal acionista da Blackwater a mais importante empresa mundial no aluguel de mercenários.
9-A Monsanto tem desenvolvido produtos como a dioxina, sacarina, PCB, poliestireno, DDT, agente laranja, glifosato e aspartame por exemplo, com comprovado impacto sobre a saúde humana e do que põe em dúvida suas credenciais como geradora de tecnologias seguras.
Dr. Ruy Alfredo de Bastos Freire Filho*
Associação dos Agricultores Orgânicos

*Possui graduação em Zootecnia pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal(1982), especialização em Produção Animal pela Escola Superior de Agricultura da Noruega(1986), mestrado em Aquacultura e Fisiologia pela Kagoshima Agricultural University(1995) e doutorado em Zootecnia (Nutrição e Produção Animal) [Botucatu] pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho(1999). Atuando principalmente nos seguintes temas:ação poupadora de proteína, lipídeos, oléo de soja, alevinos, piauçu.
Leia mais...
Postado por Janine | 0 comentários

Segurança alimentar de produtos de origem animal

Os alimentos mais vulneráveis à contaminação e, consequente transmissão de doenças, são ricos em nutrientes, com alto teor de umidade e baixa acidez. Essas características facilitam a proliferação de micro-organismos. Assim, é competência dos órgãos federais, estaduais e municipais a fiscalização na produção de alimentos de origem animal desde a criação até a exposição do produto à venda para o consumidor, dedicando especial atenção ao estabelecimentos de abate e processamento de carnes, leite e derivados, embutidos, peixes, crustáceos e moluscos.

Todos os produtos de origem animal comercializados devem ter garantia de qualidade estampada nos rótulos para serem comercializados. O selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) identifica os alimentos com procedência conhecida, registrados e inspecionados pelo governo.


É atribuição dos órgãos federais, estaduais e municipais fiscalizar a produção de alimentos de origem animal desde a criação até a exposição do produto à venda para o consumidor.

Inspeção sanitária é realizada em empresas produtoras desde 1915.




Carnes e derivados



Consistência firme e compacta.

Cor vermelha brilhante.

Gordura branca ou amarela pálida.

As carnes de primeira são as parte do animal menos exercitadas, como o filé mignon, o coxão mole ou coxão de dentro, o contrafilé, o lagarto, a alcatra e o patinho. 

As carnes de segunda são as partes mais exercitadas tais como acém, fraldinha, paleta, aba, capa de filé e peito.


Dica: Na hora de comprar carne moída, peça para o açougueiro moer na hora, na sua frente.



Produtos embutidos



Nunca compre produtos com superfície úmida, pegajosa ou liberando líquidos.

Evite produtos com odor estranho ou manchas esverdeadas.

Exija os carimbos do SIF, SIE ou SIM que são: Serviço de Inspeção Federal, Estadual e Municipal, respectivamente.

Carne de Frango

A carne de frango, já  embalada e com selo do SIF, SIE ou SIM deve conter no máximo 6% do peso da carcaça em absorção de água (portaria n. 210/98). Isso, em até seis frangos do mesmo lote, portanto, ao adquirir o produto e notar excesso de gelo, solicite a troca.

O Código de Defesa do Consumidor , em seu art. 19, prevê que os fornecedores também são responsáveis pelo que oferecem e devem realizar a troca do produto.

Ovos



Apesar de não serem de obrigatoriedade na legislação, os ovos  deveriam ser acondicionados em ambientes refrigerados para uma melhor conservação.

A casca deve ser limpa, íntegra, portanto sem sujidades, trincas e sem deformações. Grandes deformações nas cascas  indicam problemas sanitários nas poedeiras.


Leia mais: Europa rejeita aumento de prazo de validade dos ovos

Peixes



Ao comprar o peixo, confira se as escamas estão com brilho metálico e bem aderidas na pele.

Os olhos devem estar brilhantes e salientes.

a carne deve estar firme a ponto de não deixar a impressão muito tempo quando pressionada com os dedos.

As guelras devem estar vermelhas.

Exija os carimbos do SIF, SIE ou SIM que são: Serviço de Inspeção Federal, Estadual e Municipal, respectivamente.


Crustáceos (camarão e lagosta)


Carapaça bem aderida  ao corpo.

Olhos destacados e coloração própria, sem qualquer pigmentação estranha.


Mariscos, Ostras e mexilhões



Carne úmida aderida à concha, de cor acinzentada clara, nas ostras e amarelada nos mexilhões.

Devem ser mantidos sob refrigeração.

Cheiro agradável e acentuado

Quando expostos devem ter as valvas fechadas e com retenção de líquido incolor e límpido nas conchas.

Exija os carimbos do SIF, SIE ou SIM, que são: Serviço de Inspeção Federal, Estadual e Municipal, respectivamente.

Moluscos (polvos e lulas)

Devem ter a pele lisa e úmida.

Carne consistente e elástica.


Laticínios 



Ao consumir leite, certifique-se de que tenha passado por tratamentos térmicos como a Pasteurização (leite de saquinho) e o método UHT (leite de caixinha). Isso assegura que os micro-organismos prejudiciais estejam eliminados.

Nunca consumir leite in natura.

Os queijos devem apresentar superfícies com ausência de mofo. e não devem ter crosta molhada.

Exija os carimbos do SIF, SIE ou SIM, que são: Serviço de Inspeção Federal, Estadual e Municipal, respectivamente.


A venda ou armazenamento de produto de origem animal impróprio para consumo acarreta, por imposição da lei, na responsabilidade do fornecedor e na retirada do produto do mercado, para proteção da vida e da saúde do consumidor. Portanto, os órgãos públicos que atuam na fiscalização desses produtos agem em virtude da lei e em defesa da população.

Fontes: Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento, Companhia Integrada de desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina e Ministério Público.



Pesca da Tainha em Florianópolis
O peixe mais seguro e mais saboroso para consumo é preparado no momento imediato após a pesca. 






Leia mais...

Atenção

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter informativo e não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas."